Tecnologia abre novas possibilidades musicais aos cegos
19 fevereiro 2002
  |  Partilhar:

Um novo programa informático vai permitir aos cegos ler e escrever música em Braille directamente no computador, um projecto europeu no qual Portugal participa e que foi hoje apresentado em Lisboa.
 

 

A ACAPO (Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal) é a entidade nacional que integra o projecto "Play 2", financiado pela Comissão Europeia com uma verba que ronda os 1,3 milhões de euros.
 

 

Além de Portugal, participam no projecto entidades de Espanha, Itália, França, Inglaterra e Hungria.
 

 

"O objectivo final do Play 2 é criar uma biblioteca telemática na Internet com cerca de 5.000 peças musicais oriundas dos diferentes países e que seja acessível aos cegos", explicou à Agência Lusa Jacinto Moita, vice-presidente da ACAPO e coordenador nacional do projecto.
 

 

Entretanto, foi hoje apresentado em Lisboa um primeiro desenvolvimento tecnológico do projecto, o editor de música Braille (BME).
 

 

O BME é um software que traduz automaticamente uma partitura inserida num ficheiro informático tradicional para Braille e vice- versa.
 

 

"Através desta aplicação, um cego pode escrever a música em Braille e o programa faz automaticamente a tradução para negro", sublinhou Jacinto Moita.
 

 

Até agora, um cego que quisesse ler ou escrever música necessitava sempre de um intermediário.
 

 

"Este software vai permitir quebrar estas barreiras", explicou, relembrando que o Conservatório português não aceita inscrições de alunos invisuais.
 

 

A aplicação, acrescenta, tem um interesse particular para professores e alunos de música, bem como para os melómanos em geral, já que o programa informático vai permitir a utilização de até 130 instrumentos.
 

 

O desenvolvimento do software encontra-se na fase final e espera-se que comece a ser comercializado em Outubro, adaptado às diferentes línguas e por um preço ainda a definir.
 

 

O acesso ao software pode ser feito através de linha Braille ou de um sintetizador de voz.
 

 

Além da ACAPO, que tem por missão divulgar o projecto entre os associados e fazer a adaptação para a língua portuguesa, o projecto Play 2 tem como parceiros a Once (organização nacional de cegos de Espanha), a União Italiana de Cegos, a empresa italiana ARCA (onde começou a ser desenvolvida a ideia), além de outras empresas e universidades europeias.
 

 

Fonte: Lusa

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.