Técnica espanhola regenera pele queimada

Trabalho publicado na revista Biomaterials

26 dezembro 2006
  |  Partilhar:

 

Um grupo de investigadores espanhóis desenvolveu uma técnica capaz de regenerar a pele queimada, que também pode ser utilizada no combate a doenças como Diabetes e Hemofilia. O estudo será publicado na edição de Janeiro da revista Biomaterials.
 

 

Esta técnica permitiu regenerar a pele degradada de ratinhos imunodeficientes, segundo explicou em comunicado de imprensa o químico Leoncio Garrido, um dos autores do trabalho.
 

 

Garrido, que trabalha no Instituto Espanhol de Ciencia y Tecnología de Polímeros, disse que a técnica consiste em colocar pedaços de um plástico biodegradável sobre a região afectada pelas Queimaduras ou Úlceras, nas quais foram espalhadas previamente células epiteliais capazes de regenerar a zona danificada.
 

 

Segundo o especialista, se em lugar de células epiteliais se conseguir incorporar, com sucesso, células geneticamente modificadas que produzam insulina ou factores de coagulação, a técnica poderá curar deficiências como Diabetes e Hemofilia.
 

 

Analistas do Instituto de Física Rocasolano, que colaboraram nos dois anos de investigação, foram os responsáveis por perfurar o plástico com laser para abrir nele poros separados por cerca de 200 micras, e um diâmetro de 100 micras (0,2 e 0,1 milímetros).
 

 

Os poros no material permitem que as células epiteliais possam "migrar" para a derme danificada e gerar tecidos sãos, após esse processo o suporte desaparece, por ser biodegradável. O bioplástico utilizado, que tem como base metabolitos, é um poliéster originado por bactérias.
 

 

MNI- Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.