Técnica de tatuagem aumenta eficácia de vacinas

Estudo do German Cancer Research Centre

11 fevereiro 2008
  |  Partilhar:

Um estudo realizado por cientistas alemães indica que o método usado na tatuagem pode ser uma forma mais eficaz de aplicar vacinas no corpo do que a tradicional injecção.
 

 

A equipa, liderada por Martin Mueller, do German Cancer Research Centre em Heidelberg, vacinou ratinhos, usando uma máquina de tatuagem.
 

 

Segundo os cientistas, deste modo, a vacina provoca uma resposta muito mais intensa do sistema imunitário. No caso das cobaias, a vacina administrada através da agulha de tatuagem levou o organismo a criar 16 vezes mais anticorpos do que uma injecção no tecido muscular.
 

 

De acordo com Martin Müller, o maior impacto causado no corpo pela agulha vibratória de tatuagem poderia explicar o aumento da resposta imunitária.
 

 

Para os cientistas, o método "diferente" de aplicar vacinas - substituindo a tinta nas máquinas de tatuar pelas doses de imunização - até pode permitir que certas vacinas terapêuticas que hoje não provocam a resposta imunitária esperada possam ter um ganho em eficácia. Esse seria o caso, por exemplo, de vacinas desenvolvidas para certos tipos de cancros.
 

 

Os cientistas, entretanto, dizem que o método não seria apropriado para as vacinas preventivas comuns dadas a crianças, porque a dor provocada pela máquina de tatuagem é mais forte. Mas prevêem um papel para a técnica na vacinação de animais.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.