Taxas moderadoras para cirurgias são "socialmente injustas"

Relatório do Observatório de Sistemas de Saúde

04 julho 2007
  |  Partilhar:

 

As taxas moderadoras para Cirurgias e Internamento, em vigor há seis meses, são uma forma "socialmente injusta" de financiamento do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Esta é apenas uma das várias conclusões e regulamentações publicadas no Relatório de Primavera 2007 do Observatório Português dos Sistemas de Saúde (OPSS).  

 

"Baseados na definição de co-pagamento como sendo ''uma partilha de custos na forma de um valor fixo a ser pago por um serviço'', é razoável questionar-se se estas novas taxas não constituirão apenas co-pagamentos, na medida em que o Governo está a criar uma nova forma de financiamento do SNS, a qual é socialmente injusta para os portugueses que, através dos seus impostos, já estão a financiar este sistema", escreve o observatório.  

 

O balanço dos últimos 12 meses de governação socialista surge no Relatório de Primavera 2007 do observatório (OPSS), coordenado pelo economista Pedro Ferreira, e apresentado quarta-feira em Lisboa.  

 

Sobre as Listas de Espera para cirurgias, o relatório salienta "uma considerável diminuição do tempo médio de espera para um tratamento cirúrgico", mas considera "manifestamente excessivo" que os doentes com Cancros Malignos tenham de esperar em média 105 dias por uma operação, uma situação que exige, na opinião do observatório, "medidas correctivas urgentes".  

 

Para ler o relatório na íntegra, consulte www.observaport.org/OPSS  

 

Fonte: Lusa  

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.