Taxa de nascimento prematuro é das mais altas da Europa

Dados avançados pela agência Lusa

16 novembro 2010
  |  Partilhar:

Quase nove em cada 100 bebés em Portugal nascem prematuramente, uma taxa que se situa acima da média europeia, segundo avançados pela agência Lusa que citam a responsável do serviço de neonatologia da Maternidade Alfredo da Costa, Teresa Tomé.

 

A taxa europeia de bebés que nasce antes das 37 semanas é de 7,7% e Portugal tinha assumido como meta para 2010 descer a taxa de prematuridade para 4,9%. Contudo, em 2009, em cada 100 nascimentos houve 8,8 prematuros, precisou a mesma especialista, citada pela agência Lusa.

 

Teresa Tomé explica que vários são os factores que levam a este aumento da taxa de prematuridade, que em Portugal passou de 5% há 30 anos para os actuais 8,8%. Entre as causas para o aumento dos bebés prematuros podem estar stress, gravidez antes dos 18 ou depois dos 35 anos e também falta de acompanhamento adequado da gestação. Mas nem todas as causas são negativas, como explica Teresa Tomé. O aumento dos tratamentos de fertilidade, e consequentemente mais casos de gémeos, é outro dos factores. Por outro lado, a taxa de mortalidade neonatal tem decrescido, o que significa que é possível salvar mais bebés que nascem cada vez mais prematuros.

 

O limiar da viabilidade de um bebé prematuro está hoje nas 24-25 semanas. Aliás, nos últimos cinco anos a taxa de sobrevivência de prematuros às 25 semanas de gestação foi já de 50%. Mas a taxa de prematuros que mais tem aumentado em Portugal é a de “prematuros tardios”, com mais de 32 semanas de gestação, o que pode ter alguma relação com o aumento da taxa de cesarianas, admitiu Teresa Tomé.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 4
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.