Taxa de incidência de cancro aumentou 5% em seis anos

Estudo apresentado nas XVI Jornadas do ROR-Sul

20 fevereiro 2009
  |  Partilhar:

A taxa de incidência de cancro da mama, próstata, cólon, pulmão e de linfoma não Hodgkin aumentou 5% na região Sul entre 2001 e 2007.
 

 

Estas conclusões são de um estudo apresentado ontem nas XVI Jornadas do Registo Oncológico Regional do Sul (ROR-Sul).
 

 

Contabilizando todo o tipo de cancros, registou-se uma subida de 18 mil casos, em 2001, para 19 300 casos, em 2007.
 

 

Em entrevista à agência Lusa, a directora do ROR-Sul, Ana Miranda, explicou que, em termos de mortalidade, o cancro mais prevalecente é o do pulmão, que regista uma incidência mais elevada, logo seguido do cancro da próstata.
 

 

Individualizando os dados por género, há uma indicação de subida da incidência da doença nos homens, à excepção do cancro do pulmão, e uma descida nas mulheres, à excepção do linfoma não Hodgkin.
 

 

No caso do cancro da mama, por exemplo, em 2001 registaram-se 103,90 casos por cada 100 mil habitantes e, em 2007, esse valor desceu para 98,86.
 

 

O ROR-Sul integra todas as instituições públicas de saúde (hospitais e centros de saúde) que se localizam na região de Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo, Algarve e Região Autónoma da Madeira, recolhendo e tratando a informação sobre os casos de tumores malignos que ocorrem na população residente (cerca de 4 500 000 habitantes).
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.