Taxa de aborto três vezes maior nas grávidas com gripe

Especialista defende vacinação após primeiro trimestre

07 outubro 2009
  |  Partilhar:

A taxa de aborto espontâneo é três vezes maior nas grávidas que contraem gripe no primeiro trimestre de gestação, devendo estas evitar contágios que potenciem a infecção, defende o presidente da Sociedade Portuguesa de Obstetrícia e Medicina Materno-Fetal.

 

Em entrevista à agência Lusa, Luís Graça, que é também director do serviço de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital de Santa Maria, refere que o grande risco da gripe - sazonal ou A - na grávida ocorre nas primeiras 12 semanas de gestação, quando o risco de aborto espontâneo é três vezes maior. Neste período não é ainda recomendada a vacinação, mas a partir do primeiro trimestre “todas as grávidas devem ser vacinadas” contra o H1N1, defendeu o especialista.

 

Luís Graça lembrou ainda que a classificação das grávidas como grupo prioritário para a vacinação contra a gripe A se deve ainda ao facto de estas se situarem na faixa etária mais afectada por esta doença, ou seja, pessoas com menos de 40 anos.

 

A vacinação das grávidas deverá começar após 26 de Outubro, data em que se inicia a campanha de vacinação contra o vírus H1N1, e será realizada nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.