Tarefas domésticas não beneficiam saúde

Caminhar é mais saudável que limpar ou passar roupa

15 maio 2002
  |  Partilhar:

Sabia que para queimar 100 calorias precisa subir escadas durante 10 minutos, lavar o carro durante 20 a 25 minutos. E que se estiver a lavar as janelas de casa gasta 100 calorias em quase meia hora. Se, por outro lado, varrer o chão, dispensa as mesmas calorias em 25-30 minutos. Além de ser umas das mais aborrecidas, a tarefa doméstica que menos queima calorias é a de passar roupa a ferro. Ou seja, para perder 100 calorias vai ter de passar a roupa durante quase 50 minutos.
 

 

Mas não fique triste, porque em cada 15 a 20 minutos de caminhada perde as mesmas 100 calorias. E se gosta de nadar, apenas 10 a 12 minutos servem para queimar as mesmas calorias.
 

 

Poderia enumerar uma séria de actividades físicas, mas o propósito deste artigo é outro. Segundo um estudo recente, publicado no «Journal of Epidemiology and Community Health», os trabalhos domésticos são cansativos, consomem muito tempo e, apesar de constituírem uma actividade física, não melhoram a saúde nem ajudam a perder os tais quilinhos a mais.
 

 

Por isso, o melhor é deixar de lado as limpezas da casa, o pó e a sujidade e dedicar-se a uma caminhada em ritmo acelerado. Embora possa parecer brincadeira, este é mesmo o conselho da equipa da Universidade de Bristol.
 

 

Segundo os investigadores, a caminhada é a melhor opção para quem quer manter-se em forma, em especial, para as mulheres na faixa dos 60 aos 79 anos. «As mulheres mais velhas precisam de uma actividade física mais intensa. É improvável que os trabalhos domésticos consigam atingir esse objectivo», explicou à CNN Shah Ebrahim, epidemiologista e especialista em envelhecimento da Universidade de Bristol.
 

 

Para o estudo, os investigadores questionaram mais de 2300 idosas inglesas. As perguntas tinham por objectivo conhecer o tipo de actividades físicas que praticavam as mulheres da denominada terceira idade. Cerca de 10 por cento delas afirmaram caminhar de forma acelerada com regularidade, um por cento realizava mais de duas horas e meia de jardinagem por semana e mais da metade disse encarregar-se das tarefas domésticas mais pesadas.
 

 

No entanto, segundo a equipa liderada por Ebrahim, embora as tarefas domésticas exijam actividade física, não parecem oferecer qualquer benefício para a saúde. «Quando avaliamos os indicadores que variam com a actividade e forma física, como a frequência do pulso e os índices de obesidade, não constatamos nenhuma relação com as tarefas domésticas», acrescentou o investigador.
 

 

As voluntárias do estudo que caminhavam em ritmo acelerado durante duas horas e meia por semana ou dedicavam o mesmo tempo à jardinagem eram menos propensas a tornarem-se obesas e mostraram uma frequência cardíaca menor em estado de repouso. O que, segundo a equipa, é um sinal de um bom estado físico.
 

 

No entanto, e tal como na maioria dos estudos, os investigadores ressaltam ser necessários mais estudos sobre os resultados destas práticas a longo prazo para que se possa dizer se essas actividades beneficiam a saúde.
 

 

Para Ebrahim, «0s trabalhos domésticos têm sido objecto de poucos estudos porque os homens, em geral, não se envolvem em actividades do lar e a maior parte da ciência está em mãos masculinas.»
 

 

Paula Pedro Martins
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.