Tangerina combate a obesidade e protege contra doenças cardiovasculares

Estudo publicado na revista “Diabetes”

11 abril 2011
  |  Partilhar:

Investigadores americanos descobriram uma substância presente na tangerina, a nobiletina, que não só ajuda a prevenir a obesidade como actua na protecção contra a diabetes tipo 2 e a aterosclerose, uma condição responsável pela maioria dos enfartes agudos do miocárdio e dos acidentes vasculares cerebrais, dá conta um estudo publicado na revista “Diabetes”.
 

Para este estudo, os investigadores da University of Western Ontario, no Canadá, utilizaram ratinhos com síndrome metabólica, os quais foram submetidos a uma dieta com elevado teor de gorduras e açúcares simples. Um dos grupos de animais ficou obeso e apresentou todos os sinais associados à síndrome metabólica: colesterol e triglicerídeos elevados, níveis elevados de insulina e glucose e fígado gordo. Condições estas que aumentam o risco de doença cardiovascular e diabetes tipo 2.
 

O segundo grupo de animais, que também foi alimentado com o mesmo tipo de dieta, mas ingeriu simultaneamente nobiletina, não apresentou um aumento dos níveis de colesterol, insulina e glucose. Estes ratinhos tiveram ainda um aumento de peso normal e ficaram muito mais susceptíveis ao efeito da insulina. Adicionalmente, a nobiletina conseguiu impedir a acumulação de gordura no fígado, estimulou a expressão de genes envolvidos na eliminação de excesso de gordura e inibiu os genes responsáveis pela síntese de gorduras.
 

O responsável pelo estudo Murray Huff revelou em comunicado de imprensa que “os ratinhos tratados com nobiletina estavam basicamente protegidos contra a obesidade”. De acordo com o investigador, “em estudos de mais longa duração este flavonóide também protegeu os animais da aterosclerose. Estes resultados abrem assim novas portas para que sejam realizados mais estudos que verifiquem se este será um tratamento adequado para a síndrome metabólica e outros problemas relacionados.”
 

Murray Huff tem focado a sua investigação nas propriedades farmacológicas de moléculas naturalmente bioactivas. Há cerca de dois anos, descobriu que um outro flavonóide presente na toranja - a naringenina - apresenta um efeito semelhante na protecção contra a obesidade e contra outros sinais de síndrome metabólica. Contudo, o investigador acrescenta que, “o que realmente é interessante é que o efeito protector da nobiletina é, pelo menos, dez vezes mais potente do que a naringenina, para além de proteger também contra a aterosclerose”.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.