Tabaqueiras pagaram para desacreditar estudos científicos

Revista médica lança o alerta aos investigadores

19 janeiro 2005
  |  Partilhar:

 

 

A indústria do tabaco utiliza investigadores e consultores pagos para lançar a desconfiança sobre estudos que mostram o efeito cancerígeno do fumo do tabaco nos pulmões dos fumadores. Esta é a acusação de um estudo publicado na prestigiada revista médica britânica «Lancet».
 

 

Cientistas da Universidade da Califórnia, EUA, fizeram um estudo sobre a ligação entre o tabaco e o cancro, datado de 1996. A investigação demonstrou que um químico presente no fumo provocava mutações no gene p53, detectadas nos cancros do pulmão. Os investigadores californianos acusam agora as tabaqueiras de terem tentado contrariar estas conclusões durante muito tempo depois de o estudo ter sido publicado.
 

 

O «alcance e o grau de sofisticação da intervenção na indústria do tabaco na pesquisa sobre o gene p53» deveria levar autores, editores, chefes de redacção e utilizadores de revistas científicas a uma maior vigilância sobre os conflitos de interesses, sublinha o estudo da universidade norte-americana.
 

 

Nesse sentido, a revista apela aos investigadores e às instituições universitárias para que deixem de aceitar dinheiro das tabaqueiras, como forma de minimizar os riscos de ataques à integridade científica.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.