Tabagismo passivo associado a perda auditiva

Estudo publicado na revista “Tobacco Control”

09 dezembro 2010
  |  Partilhar:

Os fumadores passivos correm risco de perda auditiva, refere um estudo publicado na edição online da revista “Tobacco Control”.

 

Um estudo publicado recentemente indicou que os fumadores são mais propensos a perder alguma da sua acuidade auditiva, mas não se sabia se os fumadores passivos também estariam propensos a tal.

 

Os autores basearam-se em dados do National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES), do período entre 1999 e 2004, em conjunto com um exame físico de uma amostra representativa da população norte-americana. Ao todo, um total de 3.307 adultos, com idade entre os 20 e os 69, foram incluídos na análise final.

 

Todos foram submetidos a testes auditivos e classificados como fumadores passivos, de acordo com os níveis de um componente do fumo do tabaco, a cotinina, presente no sangue. Também forneceram informações sobre o seu historial médico, os níveis de exposição ao ruído, e se nunca tinham fumado ou vivido/trabalhado com fumadores. O grau de perda auditiva em cada ouvido foi avaliado através de testes que aferiram a capacidade de ouvir sons numa faixa de frequências de 500 Hz (baixo) a 8000 Hz (alto).

 

Aqueles que eram mais velhos e os que tinham diabetes foram significativamente mais propensos a ter perda auditiva das altas frequências. Isto era comum tanto para aqueles que eram ex-fumadores como para aqueles que nunca fumaram. Mas mesmo tendo em conta estes factores, tanto ex-fumadores como fumadores passivos foram associados a perda auditiva. Mais: os ex-fumadores foram significativamente mais propensos a ter problemas de audição. A prevalência de perda auditiva de frequências baixas e médias entre este grupo foi de 14%. E quase metade (46%) apresentou perda auditiva de altas frequências (mais de 25 decibéis).

 

Embora o risco não fosse tão grande entre aqueles que nunca tinham fumado, quase um em 10 (8,6%) tinha perda auditiva de baixas e médias frequências e um em cada quatro (26,6%) apresentaram perda auditiva das altas frequências.

 

Segundos os autores, "são necessários mais estudos para determinar se o fumo passivo potencia o efeito da exposição ao ruído e ao envelhecimento auditivo (…) se esta constatação for confirmada independentemente, em seguida, a perda auditiva pode ser adicionada à lista crescente de consequências para a saúde associadas à exposição ao fumo do tabaco."

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.