Tabagismo: mudanças reais são necessárias

Declarações do comissário europeu da Saúde e Segurança Alimentar

27 março 2017
  |  Partilhar:
O comissário europeu da Saúde e Segurança Alimentar afirmou serem necessárias mudanças reais no terreno para combater o tabagismo, defendendo uma monitorização de todos os produtos de tabaco na Europa para diminuir o comércio ilícito.
 
Segundo apurou a agência Lusa, “Precisamos de mais implementação e aplicação das leis existentes, uma mudança real no terreno”, afirmou Vytenis Andriukaitis na sessão de abertura da 7.ª Conferência Europeia do Tabaco e Saúde, que decorreu no Porto.
 
Vytenis Andriukaitis alertou também ser necessário seguir com atenção o mercado dos cigarros eletrónicos, vistos como uma alternativa para deixar de fumar, afirmando que estes “não se podem tornar numa porta de entrada para novos fumadores”.
 
O comissário europeu defendeu a implementação de uma série de medidas “de controlo do tabaco” para que seja possível reduzir o consumo, designadamente “tornar todos os espaços públicos livres de fumo”, “aplicar regras de idade mínima para fumar”, “aumentar a consciencialização sobre o tabaco nas escolas e outros ambientes”, “reduzir a exposição à publicidade”, “usar preços e impostos” e, entre outras, “ajudar os fumadores a deixar de fumar”.
 
“Incito os estados-membros da UE a utilizarem todos os instrumentos à sua disposição para o efeito”, vincou, congratulando-se com o facto de Portugal ter sido um dos primeiros países a aplicar a diretiva comunitária sobre o tabaco (de 2014), que proíbe produtos de tabaco “atrativos, coloridos e com sabor”.
 
Vytenis Andriukaitis referiu que “as evidências mostram que as pessoas têm menos probabilidade de fumar” se os maços exibirem mensagens e imagens que alertam para os riscos do tabaco, bem como se não tiverem marcas, logotipos e design de marketing”. O comissário mencionou os cinco estados-membros que decidiram tornar obrigatória a embalagem ‘limpa’ como um excelente exemplo para o resto da Europa.
 
Para o comissário europeu, ainda há um longo caminho a percorrer no combate ao tabagismo e é necessário que os estados-membros “juntem forças e trabalhem em conjunto” para tornar a Europa numa zona livre de tabaco.
 
Esta conferência foi organizada pela Liga Portuguesa Contra o Cancro, em parceria com a associação europeia das ligas contra o cancro, com o Alto Patrocínio da Presidência da República.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Image CAPTCHA
Enter the characters shown in the image.