Tabaco com sabores gera polémica nos EUA

Cigarros de coco e de ananás são para atrair os jovens, acusam as organizações antitabagistas

23 julho 2005
  |  Partilhar:

As novas campanhas das tabaqueiras americanas para atrair clientes têm gerado bastante polémica e protestos por parte das organizações de luta contra o tabagismo, que acusam estas empresas de estarem a atrair os jovens com cigarros de nomes exóticos, anúncios em revistas, tabaco com diferentes sabores, e até cigarros sem tabaco.  Segundo os mais críticos algumas marcas estão a dirigir campanhas directamente para jovens e crianças. Tabaco com sabor a ananás, a coco, a limão, embalado em caixas atractivas, com nomes como Kauai Kolada ou Caribean Chill e que são anunciados em ritmo de hip hop são para seduzir os mais jovens, denunciam algumas organizações como a “Tobacco Free Kids” (crianças sem tabaco).Apesar de existir, nos Estados Unidos, legislação que proíbe qualquer acção de publicidade ou promoção do tabaco, que directa ou indirectamente, se encaminhe para os jovens, o problema está em decidir quando é que uma campanha publicitária é dirigida aos jovens ou a crianças.Alguns estudos mostram resultados que parecem indicar que estas campanhas são efectivamente eficazes junto do público mais jovem. Um estudo do Instituto de Cancro Buffalo Roswell Park, mostra que 20% dos fumadores entre os 17 e os 19 anos de idade consomem tabaco com sabores, enquanto que essa percentagem baixa para 6% quando se trata de fumadores com mais de 25 anos.No seguimento da publicação deste tipo de estudos, e respectivos resultados, o congresso dos Estados Unidos está a ponderar a possibilidade de proibir a venda deste tipo de cigarros nos estados onde actualmente se comercializam.Fonte: El mundo

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.