Suspeitas de maus tratos a crianças em Aldeia SOS na Guarda

PJ está a investigar

03 abril 2003
  |  Partilhar:

A Polícia Judiciária está a investigar a Aldeia de Crianças SOS da Guarda onde um dos monitores alegadamente terá sujeito crianças a maus tratos, agressões físicas e psicológicas.
 

 

Segundo fonte judicial, as investigações da PJ - que incluíram há uma semana buscas nos domicílios da directora da instituição, Maria do Carmo Correia, e do monitor Paulo Buzzo, de 29 anos - têm ainda em conta a alegada prática de rituais satânicos a que as crianças terão assistido.
 

 

Essas buscas alargaram-se ainda a uma casa rural que Maria do Carmo Correia e o marido, António Correia, professor destacado na Aldeia SOS, possuem na freguesia de Urgueira do Jarmelo, a poucos quilómetros da Guarda.
 

 

Rádios locais têm difundido depoimentos de ex-utentes, sob anonimato, que acusam o monitor Paulo Buzzo de ser responsável por "mau ambiente" na Aldeia SOS e por alegados maus tratos, denunciando mesmo casos em que morcegos vivos eram introduzidos nos quartos.
 

 

Entretanto, a directora da instituição, Maria do Carmo Correia já contestou aos jornalistas as acusações, considerando que se trata de «um complot»" de alguém que não identificou.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.