Suspeita de caso de Ébola em Portugal: resultados negativos

Doente internada no Hospital de São João

14 outubro 2014
  |  Partilhar:

As análises à doente que deu entrada no Hospital de S. João, no Porto, domingo, dia 12 de outubro, com suspeita de ter contraído o vírus Ébola deram resultado negativo, anunciou a unidade hospitalar.
 

Segundo a agência Lusa, a paciente, que tinha chegado recentemente de um país africano com casos de Ébola, ficou internada por precaução, uma vez que apresentava “critérios de caso suspeito de Doença por Vírus Ébola (DVE)", de acordo com o comunicado inicial do Hospital de S. João.
 

Contudo, as análises realizadas no Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge, em Lisboa, deram resultado negativo para a doença.
 

Este é o quinto caso em Portugal de um doente internado numa unidade hospitalar com suspeitas de estar infetado com Ébola.
 

O Hospital de São João, no Porto, o Curry Cabral e o Dona Estefânia, em Lisboa, são, em Portugal, os hospitais de referência definidos para lidar com casos relativos ao Ébola.
 

O ministro da Saúde, Paulo Macedo, assegurou há dias, na Comissão Parlamentar de Saúde, que Portugal está preparado para responder a eventuais casos de ébola, o que passará pelo acesso ao soro experimental. O ministro informou ainda que a Direção Geral da Saúde obteve garantias que Portugal terá acesso ao soro experimental que foi administrado aos doentes que sobreviveram ao vírus do Ébola.
 

Além desta questão medicamentosa, Paulo Macedo disse que Portugal tem vindo a preparar-se para dois cenários: “Para a necessidade de repatriamento de um português que tenha sido infetado pelo vírus e para a importação de um caso do exterior”.
 

Segundo o ministro da Saúde, existem 10 camas pediátricas (no Hospital Dona Estefânia, em Lisboa, e São João, no Porto), bem como mais 34 camas para adultos, nos hospitais Curry Cabral, em Lisboa, e no São João, no Porto, prontas para atender possíveis casos de contágio pelo vírus do Ébola.
 

As orientações relativas à resposta ao Ébola estão a ser permanentemente atualizadas, consoante o conhecimento científico que é alcançado, explicou ainda.
 

Entretanto, as autoridades sanitárias norte-americanas confirmaram no sábado o primeiro caso de contágio de Ébola nos Estados Unidos, de uma enfermeira que tratou um liberiano doente num hospital do Texas. Trata-se do segundo caso de contaminação fora continente africano, depois de Teresa Romero, uma auxiliar de enfermagem de 44 anos ter sido infetada ao tratar um missionário que morreu depois de ter sido repatriado da Serra Leoa para Espanha.
 

São sete os países atualmente afetados pelo Ébola. A OMS dividiu estes países em dois grupos, sendo o primeiro constituído pela Guiné-Conacri, a Libéria e a Serra Leoa – os três países mais atingidos – e o segundo pela Nigéria, o Senegal, a Espanha e os Estados Unidos. A Libéria é o país mais atingido pelo vírus da febre hemorrágica, com 2.316 mortos em 4.033 no total dos sete países afetados, segundo os últimos dados da organização, divulgados a 11 de outubro.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.