Suplemento beneficia recém-nascidos de muito baixo peso

Estudo publicado no jornal BMC Pediatrics

22 agosto 2012
  |  Partilhar:

É largamente sabido que o leite materno oferece múltiplos benefícios. Os bebés que são amamentados com leite materno recebem todos os nutrientes necessários para o crescimento, bem como proteção contra infeções e doenças.

 

No entanto, um estudo conduzido pela University of Iowa, EUA, demonstrou que uma pequena quantidade de suplemento fortificante pode melhorar o crescimento de recém-nascidos de muito baixo peso (com menos de 1250 gramas) sem prejudicar os benefícios associados ao leite materno.

 

De facto, para além dos benefícios mencionados, os bebés alimentados com leite materno têm uma maior proteção contra diarreias e vómitos, contraem menos infeções de ouvidos e respiratórias e a longo termo manifestam menos tendência para serem obesos e desenvolverem eczema. Mas se compararmos estes bebés com os que são alimentados com leite artificial nos primeiros meses de vida em hospitais, os primeiros revelam um crescimento mais lento.

 

A Dra. Tarah Colaizy, líder do estudo, e colegas basearam a sua pesquisa em registos de nascimento de bebés entre 2003 e 2005, tendo comparado o peso à nascença, dieta e peso do bebé ao receber alta do hospital. A maioria dos recém-nascidos de muito baixo peso possuía o tamanho adequado para a sua idade gestacional (uma média de 27 semanas), e tinha permanecido no hospital por um período de dois a três meses após o nascimento.

 

Os bebés tinham sido alimentados, durante a sua estadia, com leite materno, com leite humano de dadora pasteurizado ou com leite artificial. Em todos os casos foram fornecidos suplementos para aumentar os níveis proteico e calórico.

 

Apesar do crescimento de todos os bebés se ter mantido em valores normais, os resultados revelaram que os bebés que tinham sido alimentados com mais de 75% de leite humano tinham tido um crescimento mais lento do que aqueles que foram alimentados com menos de 75% de leite humano. Esta diferença era ainda mais pronunciada em bebés que tinham sido alimentados com leite de dadora.

 

A líder do estudo comentou: “O leite humano oferece muitos benefícios aos recém-nascidos de muito baixo peso e devia, claro, constituir a dieta por omissão desses bebés. Todavia, os nossos bebés ficaram em média mais pequenos para a idade gestacional entre o nascimento e a alta do hospital. Recomendamos que se tenha especial atenção em assegurar que se a quantidade de proteína e calorias consumidas são as necessárias para fornecer os benefícios do leite humano sem por o crescimento em causa”. O leite materno é definitivamente sempre o melhor, mas uma pequena ajuda poderá ser necessária para os bebés de muito baixo peso.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 4
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.