Sumo de toranja aumenta biodisponibilidade de anticancerígeno

Estudo publicado na revista “Clinical Cancer Research”

13 agosto 2012
  |  Partilhar:

A ingestão de um copo de sumo de toranja, por dia, permite reduzir a dose de um fármaco anticancerígeno e obter os mesmos benefícios, dá conta um estudo publicado na revista “Clinical Cancer Research”.
 

Neste estudo, os investigadores da Chicago University of Medicine, nos EUA, decidiram investigar os efeitos que a ingestão de alimentos poderia ter na absorção e eliminação de fármacos utilizados no tratamento do cancro. Constatou-se que a ingestão de cerca de 237 ml de sumo de toranja poderia diminuir o metabolismo de um fármaco conhecido por sirolimus, o qual está aprovado para os pacientes submetidos a transplantes e que também pode ajudar os indivíduos com cancro.
 

O estudo apurou que a ingestão de 237 ml de sumo de toranja, por dia, aumenta os níveis de sirolimus em 350%.
 

“O sumo de toranja e os fármacos com um similar mecanismo podem aumentar significativamente os níveis sanguíneos de vários fármacos. Contudo, isto foi sempre considerado um efeito de sobredosagem. Assim, neste estudo, queríamos verificar se o sumo de toranja poderia ser utilizado de uma forma controlada para aumentar a disponibilidade e eficácia do sirolimus”, revelou em comunicado de imprensa, o líder do estudo, Ezra Cohen.
 

Os autores do estudo explicam que o sumo de toranja pode inibir enzimas presentes no intestino que decompõem o sirolimus e outros fármacos. Este efeito é iniciado poucas horas após a toma do sumo e desparece gradualmente ao fim de alguns dias.
 

Para o estudo, os investigadores contaram com a participação de 138 pacientes com cancro, os quais foram divididos em três grupos distintos: ao primeiro grupo foi administrado  sirolimus, ao segundo sirolimus e um fármaco que abranda o metabolismo (ketoconazol) e ao terceiro grupo sirolimus conjuntamente com sumo de toranja.
 

O estudo apurou que a dose ideal para combater o cancro era de cerca de 90mg, apesar de as doses acima dos 45mg já provocarem efeitos secundários. Contudo, as doses ótimas para os outros dois grupos foram mais baixas. Os pacientes que tomaram sirolimus conjuntamente com ketoconazol necessitaram apenas de 16mg para manter os mesmos níveis do fármaco no sangue. Por outro lado, com a ingestão de sumo de toranja os pacientes necessitaram entre 25 a 35 mg de sirolimus por semana.
 

Os investigadores referem que apesar da toma de ketoconazol provocar um maior efeito na retenção do sirolimus, o sumo de toranja tem a vantagem de não ser tóxico nem ter perigo de sobredosagem. “Assim, temos à nossa disposição uma forma de aumentar a biodisponibilidade do sirolimus e diminuir os gastos com a medicação”, concluem os autores do estudo.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.