Substituto do BPA induz efeitos semelhantes

Estudo publicado na revista “Endocrinology”

28 março 2016
  |  Partilhar:

A exposição a um substituto químico do bisfenol A (BPA) parece fomentar a formação de células adiposas, sugere um estudo publicado na revista “Endocrinology”.
 

O substituto químico bisfenol S (BPS) tem uma estrutura ligeiramente diferente da do BPA, um conhecido disruptor endócrino. A partir de 2014 começaram a surgir vários estudos que associaram a exposição ao BPA a problemas de saúde, nomeadamente aumento da pressão arterial e infertilidade nas mulheres.
 

Os receios que surgiram em torno dos efeitos do BPA na saúde encorajou muitos consumidores a adquirirem embalagens rotuladas “sem BPA”. Contudo, estes produtos, que contêm frequentemente BPS ou outros substitutos, têm também levantado algumas preocupações, uma vez que interferem igualmente com o sistema hormonal e podem apresentar ameaças similares para a saúde pública.
 

“Uma vez que o BPS é um dos produtos químicos utilizados nos produtos comercializados como sendo isentos de BPA, é importante analisar se o BPS atua como um disruptor endócrino”, revelou, em comunicado de imprensa, um dos autores do estudo, Ella Atlas.
 

No estudo os investigadores do Canadá desenvolveram um modelo celular para testar os efeitos da exposição ao BPA. Foi utilizado um tipo de células humanas, os prediapócitos, ou seja células que ainda não estão diferenciadas, mas que têm a capacidade de se diferenciarem em adipócitos. Estas células foram retiradas da anca, coxa ou abdómen de voluntárias do sexo feminino.
 

As células foram expostas a diferentes concentrações de BPS ou de dexametasona, ao longo de 14 dias. A dexametasona induz uma taxa conhecida de formação de adipócitos e acumulação de lípidos no sangue e nos tecidos.
 

O estudo apurou que a exposição ao BPS, em concentrações mais baixas ou mais elevadas, conduziu a uma grande acumulação de lípidos. A exposição a quantidades moderadas teve um efeito pequeno.
 

Os investigadores referem que a exposição a disruptores endócrinos, mesmo que em pequenas quantidades, pode interferir com o funcionamento hormonal. Isto porque pequenas alterações nos níveis hormonais induzem alterações em várias funções do organismo, incluindo metabolismo, respiração e frequência cardíaca.
 

“Este estudo demonstra que o BPS e o BPA têm efeitos semelhantes na formação de adipócitos, acumulação de lípidos e expressão de genes importantes no metabolismo dos lípidos”, concluiu a investigadora.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.