Substituto de nicotina pode aumentar risco de má-formação do bebé

Estudo da Universidade de Valência

13 dezembro 2006
  |  Partilhar:

 

O uso dos substitutos de nicotina (pastilha elástica ou adesivos) durante as 12 primeiras semanas de gravidez parece originar um leve aumento no risco do bebé nascer com alguma deficiência, de acordo com um estudo abrangente realizado pela Universidade de Valência, Espanha.
 

 

Num estudo elaborado com grávidas e seus recém-nascidos, a equipa liderada pela médica Maria M. Morales-Suarez-Varela entrevistou 76.768 mulheres, entre a 11ª e 25ª semana de gravidez, efectuando um levantamento sobre os hábitos de tabagismo e de uso de substitutos de nicotina durante as 12 primeiras semanas de gestação.
 

 

Ao todo, foram avaliados 20.603 partos de mães fumadoras e 56.165 de mães não-fumadoras.
 

 

Os especialistas observaram um índice de "relação relativa de prevalência" de má-formação congénita de 1,1 entre as fumadoras. Neste grupo, o índice de lábio leporino ou má-formação do sistema circulatório ou digestivo foi de 1,2 a 1,5.
 

 

Entre as que não fumaram na gravidez, mas usaram os substitutos de nicotina nas primeiras 12 semanas, a "relação relativa de prevalência" de má-formação congénita foi um pouco maior (1,61), em comparação com as não-fumadoras.
 

 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.