Substâncias ilegais na alimentação do gado português

Hormonas vinham de Espanha

15 julho 2004
  |  Partilhar:

Portugal terá recebido substâncias ilegais para alimentação de gado, fornecidas por uma rede que agora foi desmantelada em Espanha. Foram detidos sete indivíduos, acusados de fabricar e vender hormonas, sendo administradas aos animais misturadas com água, em pequenas quantidades para não serem detectadas nos controlos sanitários.Já esta semana, a polícia espanhola terá alertado os colegas portugueses para o caso, segundo avançou uma fonte da Guarda Civil do país vizinho - embora o gabinete de Sevinate Pinto afirme desconhecer a situação, alegando serem necessários alguns dias para tentar saber que entidades foram contactadas. Isto porque, segundo o mesmo gabinete, as acções de fiscalização envolvem várias instituições.Calcula-se que, entre 2001 e 2002, cerca de nove mil cabeças de gado em toda a Península Ibérica terão sido alimentadas à base destas hormonas, produzidas num laboratório de Réus, em Tarragona, dirigido pelos membros de uma só família. Em 2003, esta cifra terá sido reduzida para metade. A notícia não surpreendeu o sector em Portugal. O presidente da Federação Portuguesa da Associações de Bovinicultores (Fepabo), Francisco Carolino, não ficou surpreendido com as detenções em Espanha. «Como não me surpreende a ligação destes agentes a agentes portugueses», sustenta, lamentando que em Portugal exista «grande dificuldade em fiscalizar e controlar eficazmente a carne». Por isso, «não excluo que, no grupo das grandes áreas a fiscalizar, esteja incluído o comércio de substâncias não legais. Está sobretudo vocacionada para as produções intensivas, dos bovinos e outras carnes», insiste.Fonte: Diário de Notícias

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.