Subida das temperaturas aumentará mortalidade em Portugal

Alerta de especialista da OMS

25 maio 2006
  |  Partilhar:

 

A responsável pela unidade da Organização Mundial da Saúde (OMS) para as alterações climáticas alertou para o facto do agravamento das altas temperaturas provocar a subida da mortalidade associada ao calor em Portugal.
 

 

O cenário, assumido por Bettina Menne como uma das piores hipóteses, refere-se a projecções para 2020, e indica um aumento para entre 5,8 e 15,1 óbitos por cada cem mil pessoas, tendo como base os actuais níveis de mortalidade, que se situam entre 5,4 e seis por cada cem mil habitantes.
 

 

A coordenadora da Global Change and Health Unit da Organização Mundial da Saúde (OMS), que esteve presente numa conferência organizada pela Fundação Calouste Gulbenkian sobre alterações climáticas e saúde, em Lisboa, salientou a necessidade de mitigar os efeitos das temperaturas elevadas na saúde, sublinhando que este é um aspecto que "pode ser prevenido".
 

 

Portugal mereceu um destaque de Betinna Menne neste caso, pois foi pioneiro, na Europa, na criação de um sistema que analisasse o impacto do calor sobre os óbitos - o sistema Ícaro, da responsabilidade do Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge. A responsável da OMS enalteceu também o Plano de Contingência para as Ondas de Calor, criado em Portugal após a onda de calor de 2003, mas ressalvou que o teste final à eficácia do sistema será uma nova vaga de altas temperaturas. "Teremos de esperar pela próxima onda de calor para saber se os sistemas funcionam a longo prazo", resumiu.
 

 

Fontes: Lusa e Diário de Notícias
 

MNI- Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.