Stress pós-traumático comum em doentes com enxaqueca

Estudo publicado na “Headache”

19 abril 2009
  |  Partilhar:

Os adultos que sofrem de enxaquecas são mais susceptíveis de sofrer de stress pós-traumático do que a população em geral, sugere um estudo publicado na revista “Headache”.

 

Os investigadores da University College of Medicine Headache Clinic, em Filadélfia, EUA, contaram com a participação de um grupo de 593 adultos que sofriam de enxaqueca. Verificaram que o stress pós-traumático estava presente em 30% dos indivíduos que sofriam de dores de cabeça crónicas diárias e em cerca de 20% dos que tinham episódios de enxaqueca. Em comparação, cerca de 8% da população geral sofre de stress pós-traumático.

 

O estudo relevou também que 42% dos pacientes que sofriam de enxaqueca e 65% dos que sofriam de enxaqueca com stress pós-traumático reportaram abusos físicos e sexuais.

 

De acordo com declarações prestadas à agência Reuteurs Health, o líder da investigação, B. Lee Peterlin, revelou que “apesar de se ter a percepção de que a guerra é a causa mais comum, são os traumas interpessoais, que incluem o abuso sexual, a causa mais frequente nos indivíduos que sofrem de stress pós-traumático”. Nas mulheres, o tempo de duração desta perturbação é duas vezes superior ao verificado nos homens.

 

Peterlin acrescenta que “os resultados deste estudo sugerem que a identificação e o tratamento do stress pós-traumático em indivíduos que sofrem de enxaqueca constituem factores modificadores importantes que podem diminuir as limitações impostas pelas cefaleias”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.