Stress pós-traumático afecta 50 mil ex-combatentes da guerra colonial
08 junho 2002
  |  Partilhar:

Cerca de 50 mil portugueses que combateram na guerra
 

colonial sofrem actualmente de stress pós-traumático crónico em consequência da sua participação nas acções militares desenvolvidas nas antigas colónias ultramarinas, foi ontem revelado no Porto.
 

 

Estes dados foram apresentados por Afonso de Albuquerque,
 

especialista do Hospital Júlio de Matos, num comunicação
 

intitulada "Stress de guerra: a ferida encoberta", que abriu os trabalhos da primeira conferência realizada em Portugal sobre stress pós-traumático.
 

 

Para chegar a estes valores, Afonso de Albuquerque
 

utilizou uma extrapolação para a população portuguesa dos dados obtidos em vários estudos realizados nos EUA com antigos combatentes, nomeadamente da guerra do Vietname.
 

 

O especialista apresentou ainda as conclusões de um estudo
 

realizado no Hospital Júlio de Matos, em Lisboa, com 170 antigos combatentes da guerra colonial.
 

 

O estudo concluiu que apenas 10 por cento destes ex-combatentes tiveram os primeiros sintomas da doença durante a guerra, mas a grande maioria só começou a sentir os sintomas do stress pós-traumático depois de ter regressado a Portugal.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 1 Comentar