Stress no trabalho associado a maior risco de asma

Estudo publicado na revista “Allergy”

01 junho 2010
  |  Partilhar:

As pessoas que, com frequência, se sentem stressadas por causa do trabalho têm um maior risco de desenvolver asma, revela um estudo publicado na revista “Allergy”.

 

Vários estudos têm verificado que os altos níveis de stress no trabalho estão associados a diversos problemas de saúde, incluindo doenças cardíacas, diabetes e depressão. Este estudo da Universidade de Heidelberg, na Alemanha, vem, entretanto, acrescentar mais uma doença à lista: a asma.

 

Nesta investigação, liderada por Adrian Loerbroks, foram avaliadas mais de 5 mil pessoas com idades entre os 40 e 65 anos. Durante os 10 anos de acompanhamento, os investigadores verificaram que quem relatava maior stress no trabalho tinha duas vezes mais hipóteses de desenvolver asma.

 

Através de um questionário foi pedido aos voluntários que fizessem uma avaliação sobre o stress que sentiam no trabalho e que indicassem quantas vezes, no final do dia, pensavam no trabalho ou se sentiam exaustos ou incapazes de lidar com as suas solicitações laborais.

 

O estudo verificou que o risco geral de novos diagnósticos de asma durante o estudo foi baixo: entre os stressados, 2,4% desenvolveram asma; em contrapartida, apenas 1,3% dos que relatavam baixos níveis de stress no trabalho desenvolveram a doença.

 

Os autores do estudo reforçam o facto de estes resultados não comprovarem que o stress no trabalho seja, só por si, a razão para uma maior taxa de asma. Contudo, especulam que o stress crónico possa ter efeitos sobre os sistemas hormonal e imunitário, o que contribuiria para o desenvolvimento de asma, dado que deixaria as vias aéreas mais expostas à inflamação em resposta aos alergénios.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar