Stress aumenta efeito calmante do álcool...

...e neutraliza o estimulante

30 maio 2005
  |  Partilhar:

 

 

O stress parece aumentar os efeitos calmantes do álcool e, ao mesmo tempo, neutralizar as propriedades estimulantes dessa substância, sugeriu um novo estudo. Isso pode significar que o stress diminui a acção do álcool, em vez de provocar o contrário.
 

 

Há muito tempo que os investigadores dedicados ao estudo da dependência química se interessam pela relação entre o stress e o consumo de álcool e questionam a possibilidade de esse estado modificar os efeitos da substância. Experiências feitas em animais e com seres humanos já indicaram que o stress pode provocar o aumento do consumo de álcool.
 

 

«A noção parece intuitiva, mas nunca tinha sido estudada numa situação controlada em laboratório», disse Anna H. V. Soderpalm, chefe da equipa da Universidade de Chicago, em Illinois, à Reuters.
 

 

No estudo, Soderpalm e Harriet de Wit submeteram 11 homens saudáveis -- com idade entre 21 e 31 anos e sem problemas de alcoolismo -- a um teste de matemática para induzir o stress. Quando os investigadores detectaram o pico da hormona do stress -- o cortisol -- na saliva dos voluntários, ofereceram sumo de laranja com Everclear, composto cuja constituição é de 95 por cento de álcool de cereais. Após ingerir a bebida, os homens responderam a questões sobre o humor.
 

 

Os resultados foram comparados com os de outro grupo de nove homens que passaram pelo mesmo teste, mas beberam sumo de laranja puro. Os cientistas também avaliaram as respostas num outro dia, quando os voluntários consumiram a bebida com e sem álcool, mas não foram submetidos a uma situação de stress.
 

 

Os homens stressados que consumiram a bebida alcoólica disseram que se sentiam menos estimulados -- «aumentaram as taxas de desânimo e de inactividade» -- após beberem álcool, informaram os autores na revista Alcoholism: Clinical and Experimental Research.
 

 

Enquanto os participantes que beberam sumo sem álcool relataram ter gostado mais da bebida e um desejo maior de consumir mais do produto caso estivessem stressados, ao invés, os homens stressados que tomaram álcool disseram não querer mais do líquido.
 

 

Segundo os investigadores, essa reacção pode ter sido provocada porque estas pessoas receberam uma dose relativamente alta de álcool.
 

Soderpalm e Wit acrescentaram que «os resultados do estudo podem estar relacionados com a ideia de que as pessoas bebem para relaxar, embora, no estudo, o álcool não tenha alterado o estado de espírito, mas, ao contrário, o estado de espírito tenha modificado os efeitos do álcool».
 

 

Traduzido e adaptado por:
 

Paula Pedro Martins
 

Jornalista
 

MNI-Médicos Na Internet
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.