Stress antes da gravidez aumenta risco de parto prematuro

Estudo publicado na “Human Reproduction”

30 dezembro 2008
  |  Partilhar:

Mulheres que sofrem um evento stressante, tal como a morte de um familiar ou amigo antes de engravidarem, correm um risco maior de parto prematuro, sugere um estudo publicado na revista “Human Reproduction”.

 

Num estudo realizado durante um período de 24 anos junto de um milhão de mulheres dinamarquesas que tiveram filhos, investigadores da University College Cork, na Irlanda, notaram que as mulheres que tiveram de lidar com morte ou doença grave na família pouco antes da gravidez apresentaram uma propensão 16% mais elevada de dar à luz prematuramente.
 

E, quando o stress era relacionado com um filho (que tinha morrido ou ficado gravemente doente), esse risco aumentava para 23% e as probabilidades de nascimento muito prematuro aumentavam em 59%.

 

Segundo os investigadores, liderados por Louise Kenny, o problema está relacionado com questões hormonais. Dado que o stress pode aumentar os níveis da hormona cortisol e do factor libertador de corticotropina (CRF), isto pode resultar num parto prematuro.

 

Os cientistas destacam, no entanto, que os riscos de parto prematuro permanecem subtis, sendo mais importante seguir um estilo de vida saudável e os conselhos do médico.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.