Stress afeta qualidade dos espermatozoides

Estudo publicado na revista “Fertility and Sterility”

04 junho 2014
  |  Partilhar:

O stress é prejudicial para os espermatozoides e para a qualidade do sémen, afetando a sua concentração, aparência e capacidade de fecundar o óvulo, defende um estudo publicado na revista “Fertility and Sterility”.

 

Neste estudo os investigadores da Universidade de Columbia e da escola de Saúde Pública de Rutgers, nos EUA, contaram com a participação de 193 homens com idades compreendidas entre os 38 e os 49 anos. O stress no ambiente laboral, bem como aquele sentido no dia-a-dia foi medido de uma forma subjetiva e objetiva. Os participantes forneceram também amostras de sémen tendo sido avaliada a concentração deste, bem como a aparência dos espermatozoides e a sua motilidade.

 

O estudo apurou que o stress, tanto o medido objetivamente como subjetivamente, degradava a qualidade do sémen, mesmo tendo em conta a preocupação que os participantes tinham com a sua fertilidade, antecedentes de problemas reprodutivos ou outros problemas de saúde.

 

Os investigadores constataram que o stress sentido no ambiente laboral não parecia ter o mesmo efeito. Contudo, os autores do estudo acreditam que este tipo de stress pode ainda assim afetar a saúde reprodutiva, uma vez que os homens com stress laboral apresentam níveis mais baixos de testosterona. Estar desempregado teve efeitos ainda mais negativos, uma vez que estes homens têm, comparativamente com os homens empregados, espermatozoides de pior qualidade.

 

Ainda não se sabe ao certo de que forma o stress afeta a qualidade do sémen. O estudo refere que o stress talvez despolete a produção de hormonas esteroides denominadas por glucocorticoides, que por sua vez alteram os níveis de testosterona e a produção de espermatozoides. Uma outra possibilidade envolve o stress oxidativo, o qual tem demonstrado afetar a qualidade do sémen e a fertilidade.

 

"Há muito que sabe que o stress tem influência na saúde. O nosso estudo sugere que a saúde reprodutiva dos homens pode ser também afetada pelo seu ambiente social”, conclui, a primeira autora do estudo, Teresa Janevic.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.