Sono é importante para o desenvolvimento do cérebro das crianças

Estudo publicado na revista “Science Advances”

08 julho 2015
  |  Partilhar:

O movimento rápido dos olhos (REM) converte as experiências em memórias e capacidades duradouras no cérebro dos mais jovens, dá conta um estudo publicado na revista “Science Advances” .
 

Estudos anteriores já tinham constatado que os animais mais jovens despendiam muito do seu tempo no sono REM, mas pouco se sabia sobre os princípios básicos da capacidade desta fase do sono de alterar ou formar memórias.
 

Neste estudo, os investigadores da Universidade do Estado de Washington, nos EUA, analisaram os efeitos do sono no desenvolvimento da visão dos animais jovens. Verificou-se que os circuitos cerebrais se alteravam no córtex visual à medida que os animais exploravam o ambiente envolvente, mas o sono REM era necessário para manter estas alterações.
 

O estudo apurou que as alterações são dependentes de uma enzima, a ERK, que apenas está ativa durante o sono REM. “O sono REM funciona como revelador químico utilizado na revelação fotográfica antiga fazendo com que os traços das experiências fiquem mais permanentes e focados no cérebro. As experiências são frágeis. Estes traços tendem a desvanecer sem o sono REM e o cérebro basicamente esquece aquilo que viu”, revelou, em comunicado de imprensa, um dos autores do estudo, Marcos Frank.
 

O investigador explica que os cérebros jovens, incluindo o dos humanos, atravessam períodos críticos de plasticidade ou remodelação quando a visão, discurso, linguagem, capacidades motoras e sociais, bem como outras funções cognitivas são desenvolvidas.
 

O estudo sugere que durante estes períodos, o sono REM ajuda os cérebros em crescimento a ajustar a força ou o número das ligações neuronais a coincidirem com a informação que recebem do seu meio ambiente.
 

Para além de terem constatado que o sono REM era importante para o desenvolvimento da visão, os investigadores também descobriram que este desempenhava um papel importante noutras partes do cérebro e que os efeitos podem permanecer ao longo da vida.
 

Na opinião de Marcos Frank, este estudo tem grandes implicações no conhecimento do sono das crianças. “Há uma grande número de dados que sugerem que a quantidade de sono de uma criança afeta o seu desempenho escolar. Este estudo ajuda a explicar por que isto acontece e por que motivo devemos ser cautelosos com a restrição do sono das crianças, o que muitas vezes ocorre”.
 

O investigador alerta ainda para o facto de a toma de alguns fármacos − como aqueles utilizados no tratamento do distúrbio do deficit de atenção e também os antidepressivos, que são cada vez mais prescritos às crianças − poderem afetar o sono, particularmente o sono REM.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.