Solidão ameaça longevidade

Estudo apresentado na “Perspectives on Psychological Science”

17 março 2015
  |  Partilhar:

Um novo estudo demonstrou que a solidão e o isolamento social constituem uma ameaça à longevidade comparável com a da obesidade.


Julianne Holt-Lunstad, autora principal do estudo, da Universidade Brigham Young, nos EUA, comenta que “o efeito disto é comparável à obesidade, algo que a saúde pública leva muito a sério”, acrescentando ainda que “precisamos de levar mais a sério as nossas relações sociais”.


Para as camadas populacionais mais jovens, a associação entre solidão e risco de mortalidade é ainda maior do que para as pessoas de idade mais avançada. Embora as pessoas mais velhas corram um maior risco de solidão e de mortalidade, a solidão consegue ser um melhor fator de previsão de mortalidade entre os indivíduos com menos de 65 anos.


Para o estudo, uma equipa de investigadores liderados por Julianne Holt-Lunstad, analisou dados de vários estudos sobre saúde, que abrangiam um total de mais de três milhões de participantes. Os estudos continham dados sobre a solidão, isolamento social e viver sozinho.


Foram tidas em consideração variáveis como idade, sexo, estatuto socioeconómico e problemas de saúde preexistentes. A análise aos dados apurou que a falta de relações sociais representa um risco acrescido de mortalidade e que a existência de relações sociais traz benefícios para a saúde. Segundo Tim Smith, coautor do estudo, a solidão e isolamento social por escolha própria trazem os mesmos malefícios para a saúde.


A mesma equipa tinha já concluído em estudos anteriores que a solidão influenciava o risco de mortalidade da forma equivalente ao consumo de 15 cigarros por dia e ser alcoólico. O estudo agora divulgado não só sugere que o risco de mortalidade é semelhante, como ultrapassa mesmo os riscos associados à obesidade.


“Na sua essência o estudo quer dizer que quanto mais psicologia positiva tivermos no nosso mundo, melhor conseguiremos funcionar não só emocionalmente como fisicamente”, conclui a investigadora.  


ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.