Situação do mosquito Aedes Aegytpi avaliada na Madeira

Técnicos realizam estudo no terreno

02 julho 2009
  |  Partilhar:

Técnicos do Instituto de Higiene e Medicina Tropical (IHMT) e da Universidade Nova de Lisboa vão estar este mês na Madeira para avaliar a situação do combate ao mosquito Aedes Aegytpi, potencial transmissor de dengue e febre-amarela, que ainda não se conseguiu erradicar do arquipélago.

 

O mosquito Aedes Aegypti foi detectado no Funchal em 2005, na freguesia de Santa Luzia. Tudo indica que terá chegado à região numa importação de palmeiras para um jardim público, tendo-se já propagado a várias freguesias.

 

Apesar das medidas de combate, com recurso a desinfestações, adoptadas pelas autoridades regionais desde Outubro de 2005, o director do Serviço de Saúde da Madeira, Maurício Melim, espera novos surtos. "Com a chegada do Verão e com o aumento da temperatura, no princípio do Outono teremos problemas semelhantes aos que tivemos em anos anteriores", alertou o responsável, citado pela agência Lusa.

 

Até ao momento, a Direcção Regional de Saúde da Madeira não tem registos de portadores das doenças infecciosas que possam ter sido transmitidas por este tipo de mosquito.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.