Situação do aborto clandestino em Portugal

Dados apresentados na imprensa

12 dezembro 2006
  |  Partilhar:

 

No ano passado realizaram-se em Portugal 906 abortos ao abrigo da lei, mas dados internacionais estimam que o número de interrupções de gravidez clandestinas seja de 20 a 30 mil por ano, segundo a imprensa.
 

 

Segundo o jornal Público, foram oficialmente registados 73 casos de aborto ilegal, dado terem chegado aos hospitais portugueses, mas números a partir de dados internacionais permitem estimar que serão mais de 20 mil as interrupções de gravidez clandestinas em Portugal. O Público realça que a maior parte dos 906 abortos feitos dentro dos critérios estabelecidos pela lei foi feita devido a malformações fetais.
 

 

Por seu lado, o Correio da Manhã (CM) refere que o "Aborto legal vai custar 20 milhões ao Estado" e que, no ano passado, "os 906 casos aceites nos hospitais custaram ao Estado 973 mil euros".
 

 

O CM salienta que, se o aborto for despenalizado e se as 25 a 30 mil intervenções clandestinas estimadas em Portugal pela Associação para o Planeamento Familiar e outras fontes na área da saúde contactadas pelo CM forem feitas pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS), isso "pode custar ao Estado português entre 20,7 milhões de euros e 26,8 milhões".
 

 

Fontes: Público e Correio da Manhã
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.