Sistema detecta risco de síndrome da classe económica

Método denuncia coágulos por falta de actividade

21 março 2005
  |  Partilhar:

 

 

 

Médicos norte-americanos anunciaram a criação de um sistema capaz de detectar quais as pessoas mais susceptíveis de desenvolverem coágulos devido à falta de actividade física, a chamada «síndroma da classe económica».
 

 

Num artigo publicado na revista The New England Journal of Medicine, os investigadores do Hospital Brigham de Boston (Massachusetts) disseram que o sistema ajudará a prevenir o aparecimento de coágulos que podem ser fatais se chegarem ao cérebro.
 

 

O sistema consiste basicamente em criar um banco de dados sobre análises e sintomas anteriores que permitam a identificação de mais de 2.500 pessoas com risco de desenvolver a doença.
 

 

Esses coágulos provocam tromboses - foram baptizados de «síndrome da classe económica» - , já que o problema se manifestou em passageiros de avião que tiveram de permanecer muito tempo imóveis em assentos desconfortáveis.
 

 

Samuel Goldhaber, um dos autores do estudo, disse que com o sistema de alarme foi possível oferecer um tratamento prévio a pacientes potenciais, com o qual se reduziu em 41 por cento o risco de tromboses e embolia pulmonar.
 

 

Em comunicado, o Hospital Brigham disse que, embora o sistema de alarme tenha o «potencial» de salvar milhares de vidas, a sua eficácia ainda não foi totalmente confirmada.
 

 

MNI- Médicos na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.