Sintomas respiratórios mais fiáveis para diagnóstico de H1N1

Estudo publicado no “American Journal of Infection Control”

03 agosto 2010
  |  Partilhar:

Os sintomas do foro respiratório são mais fiáveis do que a presença de febre para o diagnóstico de pacientes com sintomas leves de gripe A (H1N1), refere um estudo publicado no “American Journal of Infection Control”.

 

Um estudo, liderado por Sang Won Park, da Universidade Nacional de Seul, Coreia do Sul, conclui que a tosse ou outros sintomas respiratórios são mais precisos na determinação da infecção pelo vírus influenza H1N1 do que a presença de febre.

 

Na altura do início da epidemia, vários países, especialmente da Ásia, usaram nas portas de embarque dos aeroportos scanners térmicos para detectar passageiros com febre, de modo a despistarem os casos de gripe. Além da epidemia, a Ásia temia uma conjugação perigosa entre o vírus H1N1 e o também temido vírus da gripe das aves (H5N1) que circula naquele continente desde 1997 e que infectou centenas de pessoas e causou dezenas de vítimas.

 

Embora os países asiáticos tivessem encetado diligências para um despiste seguro nos aeroportos, a verdade é que muitos dos infectados conseguiram escapar à triagem médica tomando antipiréticos. Contudo, em vez da presença de febre, a equipa de cientistas coreanos refere que a tosse e a presença de problemas respiratórios são indicadores mais fiáveis de infecção, dado que quase metade dos indivíduos com infecção leve por H1N1 pode não apresentar temperatura.

 

Neste estudo foram analisados dados de pessoas com gripe A que tinham sido internadas e colocadas sob quarentena durante as fases iniciais da pandemia, em 2009. Os resultados do estudo mostraram que apenas 45,5% dos indivíduos apresentaram febre. Deste modo, reforça o estudo, ao passarem nos aeroportos, as pessoas infectadas, mas que não apresentavam febre, não eram diagnosticadas e continuavam assim a propagar a infecção. O mesmo estudo dá nota que outros levantamentos científicos apontaram para o facto de apenas 31% dos casos de pessoas infectadas apresentarem febre. 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.