Síndrome dos ovários poliquísticos e obesidade

Estudo publicado no “Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism”

15 abril 2013
  |  Partilhar:

A obesidade pode não ser um sintoma da síndrome dos ovários poliquísticos (SOP), sugere um estudo publicado no “Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism”.
 

A SOP afeta cerca de 10% das mulheres e é caracterizada por uma quantidade excessiva de uma hormona masculina, ovulação e menstruação irregular, bem como risco de doenças metabólicas que estão muitas vezes associadas ao excesso de peso.
 

Neste estudo os investigadores da Georgia Regents University, nos EUA, analisaram indicadores que têm sido associados à doença, como obesidade, níveis elevados de testosterona e excesso de pêlos em 688 em mulheres que procuravam, ativamente, tratamento para SOP e em 64 mulheres diagnosticadas com a doença através de um rastreio à população.
 

O estudo apurou que as pacientes já identificadas com esta condição apresentavam taxas de obesidade similares às que não sofriam de SOP. No entanto, as taxas de obesidade para as mulheres que se encontravam ativamente à procura de tratamento eram duas vezes e meia superiores às taxas encontradas nas pacientes diagnosticadas com SOP através de rastreio.
 

Os investigadores constataram que as mulheres que procuravam ativamente tratamento tinham uma maior quantidade de hormonas masculinas, crescimento piloso e problemas de ovulação mais graves. De acordo com um dos autores do estudo, Ricardo Azziz, estes achados não são surpreendentes, uma vez que as pacientes que têm uma condição mais severa são mais propensas a procurar cuidados médicos.
 

"O que foi de facto surpreendente foi a taxa de obesidade nas mulheres com SOP encontradas na população, a qual está longe de estar perto daquela encontrada no outro grupo de mulheres”, revelou, em comunicado de imprensa, o investigador.
 

"Esta descoberta indica que, apesar de a obesidade ser problema grave para todas as que são atingidos por esta condição, a obesidade deve ser tratada como obesidade e não tentar associá-la como um sinal da SOP. Muitas pacientes acreditam que a SOP conduz à obesidade, mas na realidade não há muitos dados clínicos que apoiem esta associação. De facto, os nossos resultados sugerem que este não é o caso”, conclui Ricardo Azziz.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.