Sidney traz dados preocupantes sobre Sala de Injecção Medicamente Assistida

Overdoses e abusos em causa

08 julho 2007
  |  Partilhar:

Dados sobre o consumo de droga entre utilizadores da sala de injecção medicamente assistida - a funcionar de modo experimental há seis anos na cidade australiana de Sidney - traz dados preocupantes: “as overdoses são entre 36 a 42 vezes mais altas que as registadas entre a restante comunidade. O alerta foi dado no parlamento pelo líder do Partido Democrata Cristão, o reverendo Gordon Moyes, durante um debate sobre um possível alargamento da experiência aos próximos quatro anos. O sistema de Sala de Injecção Medicamente Assistida foi iniciado há seis anos, de modo experimental, pelo governo australiano. Todos os dados apresentados no parlamento tiveram por base a gravação de uma conversa entre o secretário do movimento “Drug Free Austrália” e um ex-utilizador da Sala de Injecção Medicamente Assistida. De acordo com os dados revelados, as overdoses de heroína na sala de injecção assistida são entre 36 a 42 vezes mais elevadas que os restantes casos ocorridos nas ruas de Sydney. De acordo com a conversa citada, em 2003, dados dos peritos do comité de análise da sala assistida - através de um questionário feito junto dos utilizadores aquando a entrada no programa - revelavam uma média de uma overdose por cada 4380 injecções. “Mas, uma vez dentro da sala assistida, a média é 42 vezes superior, ou seja uma overdose por cada 106 injecções”, explicou Moyes ao “Daily Telegraph”. Segundo o responsável, na conversa citada, o ex-utilizador assegurou que os utilizadores da sala usam, cada vez mais, “misturas selvagens”, as quais incluem heroína, analgésicos, ansiolíticos e hipnóticos. O ex-utilizador diz ainda, segundo a mesma fonte, que os abusos de droga eram feitos fora da vista dos especialistas. Um outro consumidor garantiu que usar a sala lhe traz mais segurança para “ter uma ‘pedrada’ maior, mesmo que corra o risco de overdose”. Para Gordon Moyes, o uso das salas de injecção assistida incentivam o abuso do consumo, “porque (os consumidores) não temem a morte, dado que, estando num local medicamente confortável, podem ser salvos”. “Previsivelmente, longe de combater o problema e ajudar os toxicodependentes a parar com a dependência, a sala de injecção facilita, ou melhor, encoraja-os a experimentar drogas de um modo mais agressivo, com múltiplas misturas, e empurrando-os para a morte”. ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.