Sida: Terapia prolongada regulariza marcador-chave do sistema imunitário

Trabalho publicado na revista “The Lancet”

19 julho 2007
  |  Partilhar:

 

As pessoas que reagem bem aos tratamentos anti-retrovirais contra a SIDA podem ver um marcador-chave do sistema imunitário voltar ao normal, se o tratamento se prolongar o suficiente, indica um estudo publicado na revista médica The Lancet.
 

 

"Os nossos resultados só se aplicam aos pacientes que tenham uma reacção óptima à terapia anti-retroviral e devem, por isso, ser considerados como o melhor cenário possível", explicam Amanda Mocroft e os seus colegas europeus e argentinos.
 

 

O estudo do cenário óptimo incidiu sobre 1.835 pacientes seropositivos incluídos no abrangente estudo europeu EuroSida (14.262 pacientes) que tinham iniciado uma triterapia antiretroviral e estavam a reagir bem ao tratamento, já que a carga viral desceu abaixo do limite de 50 vírus por mililitro de sangue.
 

 

No início do tratamento, os pacientes tinham em média uma taxa de linfócitos TCD4+ de cerca de 204 por milímetro cúbico de sangue, sendo que a taxa normal é superior a 500.O maior aumento médio anual da taxa de TCD4+ (mais 100 células por milímetro cúbico) é observado no primeiro ano de tratamento. Seguem-se nos cinco anos seguintes aumentos anuais mais fracos. Para os pacientes que tinham um baixo nível deste tipo de glóbulos brancos à partida (inferior a 200), existem subidas significativas após cinco anos de tratamento.
 

 

Fontes: Lusa e Imprensa Internacional
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.