Sida «feminiza-se» 20 anos depois

Balanço da ONUSIDA revela que metade dos seropositivos são mulheres

27 novembro 2002
  |  Partilhar:

Metade dos seropositivos é mulher, disse terça-feira o director executivo da ONUSIDA, destacando que se regista uma "feminização" da epidemia duas décadas depois de se considerar a sida uma doença de homens homossexuais.
 

 

Peter Piot falava em Londres na apresentação do relatório elaborado conjuntamente com a Organização Mundial de Saúde (OMS) "Actualização da Epidemia da Sida" e no lançamento da campanha "Viver e Deixar Viver" para 01 de Dezembro, Dia Mundial da Sida.
 

 

Duas décadas depois de identificada e catalogada como doença de homens homossexuais, as mulheres são hoje metade dos 37 milhões de adultos doentes contabilizados no mundo, disse Piot.
 

 

No balanço do relatório, há presentemente no mundo 42 milhões de doentes de sida.
 

Segundo a UNICEF, cerca de três milhões de crianças são seropositivas e 13,4 milhões de crianças com menos de 15 anos são órfãs de sida.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.