Sida controlada no Reino Unido

Mudanças de comportamento mais eficazes que terapias

29 março 2005
  |  Partilhar:

 

 

As mudanças de comportamento sexual foram mais eficazes para travar a progressão da epidemia de SIDA no início dos anos 1990 que a introdução das triterapias, sugere um estudo britânico divulgado nos EUA.
 

 

O estudo foi realizado por cientistas do University College London (UCL), da agência de Protecção da Saúde da Universidade de Oxford, que procederam a uma análise estatística da epidemia do vírus VIH-1 no Reino Unido. «Desde 1990 registaram-se importantes mudanças no comportamento social e uma tomada de consciência no Reino Unido em relação ao vírus VIH-1 e à SIDA», segundo Deenan Pillay, do centro de Virulogia da UCL.
 

 

«Apesar de um aumento muito recente dos comportamentos de risco nas relações homossexuais entre homens, foi observado desde 1990 um aumento significativo da utilização do preservativo, o que poderá explicar o equilíbrio alcançado no número de infecções», sublinhou.
 

 

«A terapia anti-retroviral poderá ter efeitos na taxas de transmissão, mas os nossos trabalhos não o demonstraram. Se fosse esse o caso, as taxas de progressão teriam diminuído no fim e não no início dos anos 1990, altura em que a terapia foi amplamente utilizada», acrescentou.
 

 

Mais de 57 mil pessoas foram infectadas pelo VIH-1 no Reino Unido desde a primeira identificação do vírus em 1982. O VIH-1 é o tipo de vírus mais disseminado no mundo, que inclui três grupos (M,N,O) com características genéticas diferentes. O outro tipo é o VIH-2. Este estudo britânico vem publicado nos Anais da Academia das Ciências dos Estados Unidos.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.