Sexo oral pode aumentar risco de cancro na boca

Estudo lança o alerta

04 março 2004
  |  Partilhar:

Alguns casos de cancro na boca poderiam ser causados a partir de um vírus transmitido através da prática de sexo oral, alertaram os cientistas.Num artigo publicado na revista New Scientist , investigadores americanos disseram que o vírus do papiloma, causador da maior parte dos tipos cervicais de cancro, também poderia dar origem a tumores na boca.Os especialistas afirmam que o fumo ou bebida em grandes quantidades causam a maioria dos casos de cancro na boca. Entretanto, a vinculação do vírus HPV pode ajudar a explicar por que alguns jovens desenvolvem a rara doença. Os autores do estudo, da Universidade Johns Hopkins, disseram entretanto que as pessoas não precisam alterar o seu comportamento sexual.Estima-se que até um quinto das mulheres entre 18 e 22 anos na Grã-Bretanha tenham algum tipo de HPV. E os cientistas tentam criar uma vacina capaz de proteger as pessoas contra as formas mais comuns do HPV, com o objectivo de reduzir os casos de cancro no colo do útero. Agora, os cientistas acalentam a esperança de que uma vacina combateria também o cancro oral, que afecta uma em cada 10 mil pessoas.No novo estudo, publicado também no Journal of the National Cancer Institute, os cientistas compararam 1670 pacientes que tinham cancro na boca com 1732 pessoas saudáveis da Europa, Canadá, Austrália, Cuba e Sudão. Para tal, realizaram biopsias para avaliar se havia ou não a presença do vírus HPV. Esse vírus foi encontrado num pequeno número de pacientes com tumores na boca.O HPV foi encontrado com maior frequência entre aqueles que disseram possuir mais de um parceiro sexual ou que praticavam sexo oral. O tipo HPV16 foi o vírus encontrado na maioria desses pacientes – o mesmo tipo causador de cancro cervical. E o vírus foi encontrado na mesma proporção em homens e mulheres. «Este é um estudo de grande escala e acho que vai convencer as pessoas», declarou o chefe da equipa de investigadores, Raphael Viscidi. Anne Szarewski, da organização Cancer Research na Grã-Bretanha, disse à BBC que as pessoas não devem entrar em pânico com a nova descoberta. «É importante ampliar o conhecimento sobre as causas do cancro, mas não gostaria de dar a impressão de que essa é uma das principais causas», explicou a especialista, acrescentando que o cancro oral é raro. E o tabaco e álcool são de longe as principais causas da doença. Traduzido e adaptado por:Paula Pedro MartinsJornalistaMNI-Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.