Serotonina veiculada a Síndrome da Morte Súbita do bebé

Estudo publicado na “Science”

07 julho 2008
  |  Partilhar:

Uma disfunção na regulação do neurotransmissor serotonina pode estar na origem da síndrome da morte súbita do bebé, sugere uma nova investigação publicada na revista “Science”.
 

 

Numa experiência efectuada com ratinhos foi possível verificar que as alterações nos níveis normais de serotonina no cérebro resultaram em morte súbita em muitos dos roedores analisados.
 

 

A equipa do Laboratório Europeu de Biologia Molecular, de Monterotondo, na Itália, desenvolveu geneticamente um modelo animal de ratinhos para que apresentassem a síndrome. Imediatamente antes de morrerem, os ratinhos com esta condição apresentaram alterações importantes no ritmo cardíaco e na temperatura semelhantes às que se pensa ocorrerem na morte súbita dos bebés.
 

 

O tronco encefálico coordena as funções cerebrais fundamentais, como as actividades cardiovasculares e respiratórias. No trabalho, os investigadores, liderados por Cornelius Gross, referem que os roedores afectados pela síndrome mostraram alterações nos neurónios do tronco encefálico, que se comunicam através do neurotransmissor serotonina.
 

 

Estas alterações na serotonina são, segundo os autores, “muito piores que um bloqueio completo daquele mensageiro químico”, já que a inexistência de serotonina não provoca a morte.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.