Serotonina relacionada com síndrome de morte súbita

Estudo publicado no “Journal of the American Medical Association”

09 fevereiro 2010
  |  Partilhar:

Os bebés que morrem de síndrome de morte súbita têm níveis baixos de serotonina, uma molécula envolvida na regulação de funções involuntárias como a respiração e a frequência cardíaca, revela um estudo publicado no “Journal of the American Medical Association”.

 

Estudos anteriores já haviam indicado que a falta de serotonina, um neurotransmissor, pode estar envolvida nas mortes por síndrome de morte súbita, a qual envolve a morte súbita e inexplicável de uma criança com menos de um ano de idade. Alguns investigadores propuseram que a ausência deste neurotransmissor poderia afectar a forma como os bebés respondem à falta de oxigénio e à acumulação de dióxido de carbono durante a noite.

 

Quando os bebés sentem falta de oxigénio despertam e viram a cabeça. No entanto, nos que morrem de síndrome de morte súbita este mecanismo de protecção está subdesenvolvido ou não existe e os bebés não acordam.

 

Para este estudo, os investigadores do Children's Hospital Boston, nos EUA, compararam os níveis de serotonina e de uma enzima envolvida na produção da serotonina, a triptofano hidroxilase 2 (TPH2), de 35 bebés que morreram de síndrome de morte súbita e de 12 bebés que morreram devido a outras causas.

 

Os investigadores constataram que, em comparação com os bebés que morreram devido a outras causas, os que morreram de síndrome de morte súbita tinham os níveis de serotonina 26% mais baixos e os níveis de TPH2 22% mais baixos.

 

Em declarações ao sítio Healthday, o líder do estudo, Hannah C. Kinney, defendeu que esta investigação permitiu confirmar que a síndrome de morte súbita está relacionada com níveis baixos de serotonina. No entanto, ainda é necessário prosseguir com as investigações para descobrir qual o mecanismo que estará na base desta associação.

 

Entretanto, os médicos aconselham os pais a deitarem os seus bebés de costas e assegurarem uma boa ventilação no quarto onde o bebé dorme.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.