Seringa a laser deve chegar ao mercado em 2013

Estudo da Universidade de Coimbra

04 julho 2012
  |  Partilhar:

Uma seringa a laser, sem agulha, está a ser desenvolvida por investigadores da Universidade de Coimbra (UC) e deverá estar disponível no mercado dentro em 2013.

 

O Laserleap é um sistema em nada semelhante às tradicionais seringas com agulha, mas que, tal como estas, permite fazer chegar o medicamento ao destino pretendido, só que sem picada e recorrendo a laser.

 

O protótipo da “seringa” foi apresentado, esta semana, na UC, onde o projeto se iniciou, em 2008, por um grupo de três investigadores do Departamento de Química.

 

Através do laser, é criada uma onda de pressão que, ao chegar à pele, gera uma “espécie de tremor de terra”, deixando-a "durante alguns segundos permeável”, o que facilita a aplicação do fármaco, administrado em creme ou gel, explicou à agência Lusa um dos investigadores envolvidos no projeto, Carlos Serpa.

 

O fármaco “surte efeito mais rapidamente, nomeadamente no caso dos analgésicos tópicos”, acrescentou.

 

Este tipo de tecnologia pode ser utilizado, nomeadamente, no tratamento do cancro da pele e em determinadas doenças dermatológicas, administração de vacinas ou aplicações em cosmética.

 

Os investigadores verificaram, através do teste em três dezenas de estudantes do Departamento de Química, que o sistema “não provoca dor nem vermelhidão, de uma maneira geral - “apenas cinco por cento dos casos, mas passa rapidamente” – e é considerado “seguro para os humanos”.

 

O Laserleap já foi vencedor da primeira edição do prémio RedEmprendia (2010), no valor de 200 mil euros, o que levou já à criação de uma empresa - LaserLeap Tecnologies, em setembro de 2011 – e atualmente incubada no Instituto Pedro Nunes – e a um pedido de patente internacional, em abril de 2011.

 

Durante a apresentação do protótipo, o presidente da RedEmpreendia, Senen Barro, classificou o projeto português de “excecional”, referindo que, na “corrida” ao prémio, estiveram outros também “bastante bons”.

 

“A qualidade de vida de muitas pessoas pode mudar radicalmente” com a nova seringa, acrescentou.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 3
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.