Segurança alimentar durante o Euro2004

Pragas de insectos e bioterrorismo no centro das preocupações

13 julho 2003
  |  Partilhar:

Menos de um ano antes do Euro 2004, evento que trará a Lisboa cerca de meio milhão de estrangeiros, um especialista em saúde pública apela à urgente criação de equipas para fiscalizar restaurantes e bares.
 

 

«É necessário criar o mais rapidamente possível equipas especiais que acompanhem os restaurante dos próprios estádios», disse à Agência Lusa António Suspiro, o médico responsável pela aprovação dos projectos dos estádios no que respeita à área da alimentação.
 

 

«O evento será no Verão, quando há muitos insectos. Há pragas próprias destes grandes ajuntamentos, como pragas de insectos ou roedores. Devia haver equipas a acompanhar estas situações, como o próprio controlo da água de abastecimento», insistiu.
 

 

Para o médico, «na área de saúde pública, tirando os problemas do terrorismo, é a segurança alimentar a situação de grande risco» deste tipo de eventos.
 

Cada um dos dez estádios preparados para o Euro 2004 terá entre um a quatro restaurantes e entre 12 a 30 bares.
 

 

Os técnicos de saúde pública têm alertado para a necessidade de haver equipas que fiscalizem o que é vendido e consumido nestas instalações.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.