Segunda onda de gripe A não deve chegar a Portugal

OMS poderá decretar fim da epidemia

23 fevereiro 2010
  |  Partilhar:

Portugal não deverá ter uma segunda onda de gripe A, sendo apenas esperado uma pequena subida de casos a partir de Outubro.

 

Em declarações ao “Diário de Notícias” (DN), Jaime Nina, virologista do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), explicou que "com o actual número de casos e a aproximação da Primavera, não me parece que haja espaço para isso".

 

O investigador acredita que cerca de "dois milhões de portugueses tenham tido gripe, o que significa que não haverá muito mais gente susceptível de ser infectada. Começa a ser difícil haver uma segunda onda, até porque vamos começar a ter um tempo mais quente". Para além disso, o número de mutações observadas no vírus também contribui para reduzir as probabilidades de uma nova onda de epidemia.

 

Na verdade, a Organização Mundial da Saúde (OMS) está a ponderar decretar em breve o fim da pandemia da gripe A, devido à redução da transmissão do vírus H1N1. Este facto não surpreende Jaime Nina, uma vez que "a redução de casos se verifica em todo o hemisfério norte".
 

Portugal acompanha a redução do número de casos que tem sido sentida sobretudo no nosso hemisfério, desde o mês de Dezembro. No último mês, o número de pessoas com sintomas de gripe diminui para cerca de metade.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.