Saúde Mental de doentes graves avaliada junto de 100 famílias

Estudo liderado por João Marques Teixeira

09 outubro 2008
  |  Partilhar:

Quatro em cada dez doentes mentais graves em Portugal interrompem a medicação sem consultar o médico, concluiu um estudo que mostra ainda que as famílias gastam em média mensal 263 euros com os tratamentos destes pacientes.
 

 

Estes dados resultam de um inquérito feito a 100 famílias de doentes mentais graves (pessoas diagnosticadas com esquizofrenia e perturbação bipolar) e a 75 psiquiatras portugueses.
 

 

Para o líder do estudo, o presidente do Colégio de Especialidade de Psiquiatria da Ordem dos Médicos, João Marques Teixeira, uma das conclusões mais preocupantes deste estudo tem a ver com a dependência dos doentes em relação às suas famílias. "Os psiquiatras referiram que menos de 10% dos doentes têm apoios sociais. Isto deixa as famílias muito preocupadas, porque temem pelo futuro dos doentes quando os familiares falecerem. É muito importante haver o apoio social de instituições que autonomizem os doentes, que os ajudem a gerir a sua reforma, por exemplo", adverte o autor do estudo.
 

 

Os dados do inquérito mostram ainda que para mais de dois terços dos doentes são necessários dois ou mais anos até ser encontrada a medicação adequada, que vai permitir estabilizar os pacientes.
 

 

Alert Life Sciences Computing, SA

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.