Salmonelas resistentes a antibióticos “atacam” em África

Estudo publicado no “Clinical Infectious Diseases”

20 abril 2010
  |  Partilhar:

Foram identificadas em África novas estirpes de salmonela, mais agressivas e resistentes aos tratamentos, que conduzem à morte de uma em cada quatro pessoas, alerta um estudo publicado na revista “Clinical Infectious Diseases”.

 

Na Europa e nos EUA, esta bactéria é normalmente responsável por episódios de diarreia, que raramente são fatais. Contudo, em África, as novas estirpes multirresistentes “atacam” crianças e adultos vulneráveis, causando infecções graves, que são difíceis de tratar e que conduzem à morte de uma em cada quatro pessoas.

 

O estudo, realizado por investigadores da University of Liverpool, no Reino Unido, em colaboração com o Wellcome Trust Sanger Institute, explica que estas salmonelas “agressivas”, que estão a aparecer exclusivamente em África, desenvolveram semelhanças genéticas com o bacilo da salmonela que causa a febre tifóide. Isto significa que, além de serem resistente aos antibióticos, o seu comportamento é mais invasivo e mais agressivo do que as estirpes típicas dos EUA e da Europa. Os investigadores acreditam que esta evolução foi provavelmente impulsionada pelo contexto da epidemia de VHI que atinge o continente africano.

 

Após esta constatação, a equipa liderada por Melita Gordon está agora a estudar outras formas de tratar estas infecções resistentes a múltiplos fármacos. "Precisamos de começar a usar novos marcadores genéticos para acompanhar e entender a propagação e os hábitos da salmonela em África de um modo mais eficaz", concluiu a cientista.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.