Sal no pão poderá ser reduzido mais do que o previsto na lei

Estudo conduzido pela Sociedade Portuguesa de Hipertensão

13 fevereiro 2017
  |  Partilhar:
Um estudo conduzido pela Sociedade Portuguesa de Hipertensão concluiu que a redução do teor de sal no pão poderá ser maior do que o previsto na legislação, sem que os consumidores notem a diferença e sem prejuízo para o negócio.
 
Segundo apurou a agência Lusa, entre junho e setembro de 2016 foram analisados quatro tipos de pão em 10 padarias de cinco distritos da região Norte de Portugal, um projeto que envolveu a Sociedade de Hipertensão, em colaboração com a Associação dos Industriais da Panificação e com o Instituto Ricardo Jorge.
 
Para o estudo, foram analisados pães de cinco padarias que serviam de controlo, tendo-se selecionado outras cinco para fazer uma intervenção com o propósito de reduzir ainda mais o sal na confeção, sem alterar outros elementos. As padarias que participaram no estudo pertenciam aos distritos de Vila Real, Braga, Viana do Castelo, Porto e Aveiro. Foram analisados quatro tipos de pão: carcaça, broa, regueifa e pão da avó.
 
O presidente da Sociedade de Hipertensão, Mesquita Bastos, observou que o pão da generalidade das padarias tem já o teor do sal ligeiramente abaixo do que determina a lei (1,4 gramas por 100 gramas de pão). No entanto, o estudo demonstrou que “é possível descer ainda mais”.
 
“Demonstrámos que foi possível reduzir até às 1,1 gramas sem as pessoas terem notado à partida a redução de teor do sal, com a venda normal e sem alteração de sabor. E não houve impacto negativo”, afirmou o responsável em declarações à agência Lusa.
 
Dos resultados da intervenção, que foram apresentados no 11º Congresso Português de Hipertensão que decorre em Vilamoura, Mesquita Bastos, que é médico cardiologista, conclui que se deve “manter o estímulo de acompanhamento junto das padarias” para que se continue a promover uma redução do sal além do que determina a lei.
 
Mesquita Bastos defende que é possível efetuar esta redução a nível nacional e lembra o impacto positivo que terá na saúde, uma vez que o pão “é um elemento essencial na alimentação dos portugueses”.
 
O especialista congratula-se com o que tem sido feito pela Associação dos Industriais da Panificação, ao promover voluntariamente uma redução de sal que vai além da que está legislada, considerando que outras indústrias devem ver aqui um exemplo a seguir.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar