Sabe a qualidade do ar dentro de uma igreja?

Ar respirado é igual ao de uma avenida

23 dezembro 2004
  |  Partilhar:

 Nesta altura, a igreja é um dos locais mais frequentados pelos cristãos. Em especial na missa do galo que celebra o nascimento de Jesus Cristo. Mas, segundo um estudo, o ar que se respira lá dentro pode ser um verdadeiro perigo para a saúde. Pior do que inalamos numa avenida cheia de poluição automóvel.Cientistas holandeses afirmaram que o ar nas igrejas tem mais hidrocarbonetos policíclicos, que podem causar cancro, que o ar respirado em ruas em que passam 45 mil carros por dia. O nível de pequenas partículas poluentes sólidas (PM10) nas igrejas estudadas é 20 vezes maior ao permitido pelas regulamentações europeias.Os investigadores acrescentam que o mês de Dezembro, quando as igrejas acendem velas para celebrar o Natal, poderia trazer ainda mais riscos aos pulmões. Acredita-se agora que a saúde respiratória é colocada em risco diante da chamada «poluição interior» dentro de casa, no trabalho e em outros espaços fechados.A equipa holandesa decidiu verificar a qualidade do ar nas igrejas, já que elas são muito pouco ventiladas e têm velas e incensos a queimar durante todo o dia. Os cientistas analisaram a concentração de partículas no ar dentro de uma pequena capela e de uma grande basílica em Maastricht, após deixarem queimar velas durante bastante tempo e simularem um serviço religioso com o uso de incenso.Foi observado que, após deixar as velas acesas ao longo de nove horas, o ar da igreja continha níveis de concentração de partículas PM10 de 600 a mil microgramas por metro cúbico – mais de quatro vezes o nível aferido antes da missa matinal. Isso significa entre 12 a 20 vezes a média de concentração permitida pelos padrões europeus para um período de 24 horas.O estudo também identificou no ar vários tipos de radicais-livres, inclusive alguns que não tinham sido documentados anteriormente. Os radicais-livres são moléculas altamente reactivas que fazem mal ao tecido do pulmão e podem provocar ou piorar reacções inflamatórias e doenças respiratórias como asma ou bronquite.Os investigadores afirmam que os padres e pessoas que trabalham dentro de igrejas durante longos períodos enfrentam maiores riscos que os fiéis que frequentam as igrejas. Do mesmo modo, pessoas devotas que passam muitas horas por dia no local também poderiam ser afectadas.Um porta-voz da Igreja Anglicana afirmou à BBC que, durante as cerimónias em que são queimadas velas ou incensos, as portas das igrejas costumam ser abertas, com pessoas a entrar e a sair do local.O estudo, feito por uma equipa da Universidade de Maastricht, na Holanda, foi publicado pelo European Respiratory Journal.Traduzido e adaptado por:Paula Pedro MartinsJornalistaMNI-Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.