Russos estão mal de saúde

Doenças mentais aumentaram 50 por cento desde a queda do comunismo

30 julho 2001
  |  Partilhar:

Desde a extinção da União Soviética, os casos de doença mental na Rússia aumentaram 50 por cento. Há dez anos atrás, estes problemas afectavam 200 pessoas em cada 100 mil, hoje já são 300.
 

 

O abuso de droga e álcool são, segundo os especialistas, os principais culpados desta situação, que também atinge jovens e crianças.
 

 

A psiquiatra Tatyana Dmitriyeva, directora do Instituto de
 

Investigação Científica em Psiquiatria, informou que o maior aumento ocorreu entre crianças e adolescentes, informou a agência de notícias Interfax.
 

 

Para Dmitriyeva, o crescimento do registro de problemas mentais está directamente associado ao aumento dos casos de dependência química, alcoolismo e inalação de solventes.
 

 

A especialista informou que o número de utilizadores de drogas aumentou 12 vezes e os casos de alcoolismo quadruplicaram entre 1991 e 2000.
 

 

A tendência para estes comportamentos de risco foi mais forte entre jovens. A dependência química aumentou oito vezes entre adultos e 18 vezes entre adolescentes, no mesmo período. Além disso, o número de suicídios está a crescer no país, acrescentou Dmitriyeva.
 

 

Adaptado por: Paula Pedro Martins
 

 

 

MNI - Médicos Na Internet
 

 

Fonte: CNN
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.