Risco de melanoma é maior em residentes urbanos e classes altas
14 maio 2002
  |  Partilhar:

Os residentes em meio urbano e pertencentes à classe média alta, com mais poder de compra, são um dos principais grupos de risco do cancro maligno da pele, associado a exposições solares intensas e irregulares.
 

 

E embora o melanoma maligno esteja a aumentar de forma muito acentuada - sendo que pode ser curado se detectado precocemente -, é cada vez menor o número de pessoas que se submete a despiste, alerta João Abel Amaro, director do serviço de Dermatologia do Instituto Português de Oncologia (IPO).
 

 

Com o objectivo de contrariar esta situação, e à semelhança do que ocorreu em anos anteriores, 14 países europeus, entre os quais Portugal, promoveram ontem o Dia do Euromelanoma, assinalado através de despistes gratuitos em vários hospitais.
 

 

A iniciativa tem por objectivo essencial alertar e sensibilizar para os perigos do sol, para os principais factores de risco e sinais de alarme associados ao cancro da pele e para a necessidade de fazer o exame a sinais suspeitos.
 

 

Fonte: Lusa
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.